Pular para o conteúdo principal

Carta para o coração que se partiu e ainda bate



Querido leitor, hoje quero falar sobre algo tão corriqueiro dos nossos dias e que ao mesmo tempo é crucial. Vivemos tão ocupados e enlouquecidos com as nossas rotinas e não nos damos conta do porque fazemos o que fazemos, não é?! Longe de querer ser clichê com esse assunto, escrevo com todo o temor que há no meu coração.

 Quantas vezes ao longo dessa estrada que é viver nos deparamos com inúmeras situações, algumas já planejadas por nossas ambições, outras, no entanto parecem cair como uma bomba na nossa direção e que inevitavelmente explode nos machucando, tirando a nossa paz e segurança. E sabemos que entre essas duas opções, as que mais acontecem são as que nos ferem, seja em forma de perda, ansiedade, relacionamentos, profissão, igreja, ministério, sonhos! Ah! Querido leitor, são tantas coisas que enfrentamos no cotidiano, tenho certeza que dariam ótimas histórias para o livro da vida.

O que desejo tratar aqui é o porquê de algumas aflições, afirmo que não tenho resposta para todas as questões que permeiam o meu e o seu coração, mas diante das escrituras sagradas podemos encontrar paz, consolo, esperança e descanso para a nossa alma. Nós temos uma mania muito feia de atribuirmos a Deus a culpa de tudo o que nos acometem de ruim, já reparou nisso? Eu já fiz isso e sei que você também!

Mas eu te pergunto, por que sofremos tanto? É claro que não podemos nos esquecer do que Jesus disse aos seus discípulos e que muito serve para nós:

Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo. ” João 16:33

Nós cristãos, estamos sujeitos ao sofrimento. Não existe discípulo sem cruz, não se esqueça disso! Olhando por outra ótica, existem dores que causamos a nós mesmo, isso parece meio paradoxal, oras quem não busca a felicidade? Te digo, essa é a mais pura verdade caro leitor. Lembrando da nossa natureza pecaminosa que tanto grita dentro de nós, muitas vezes agimos na impulsividade dessa natureza adâmica que temos.

Buscamos viver tantas coisas, vivemos cercados de relacionamentos, sonhos, anseios, todas as coisas clichês que o ser humano quer para viver. É nessa busca desenfreada em estarmos satisfeitos que frustramos, arrebentamos e estilhaçamos o nosso coração. Mas como isso Bia? Se tudo o que buscamos é ter uma vida satisfeita! Vou lhe explicar o porquê digo isso. Nós buscamos estar satisfeitos em uma profissão, em um ministério, um casamento, uma viagem, uma faculdade, nas redes sociais e vamos com tanta intensidade nessas direções, não digo que é errado ter essas coisas, não me leve a mal.

A busca por essas questões tem um único objetivo as vezes: Nos sentirmos amados e importantes diante das pessoas que nos rodeiam, queremos status, queremos ser aceitos pelas pessoas e nos esquecemos que definitivamente não precisamos disso, quando temos o amor de Deus sobre nós. Precisamos trazer a memória o amor de Deus e o sacrifício vicário de Cristo por nós, a nossa satisfação deve estar Nele e somente Nele, viver isso lhe asseguro sem medo, é ter paz m meio a guerra. Precisamos lembrar constantemente da cruz, para que possamos lembrar ao menos duas coisas: O quanto somos indignos e o quanto somos amados!

Ele é a razão de estarmos neste mundo, ele é quem sopra o ar em nossos pulmões e faz o nosso coração bater todos os dias, quando tentamos viver de forma leviana, esquecendo do que Ele é, estamos fadados ao fracasso, a dor, a ferida, a angustia, o medo, a frustração e solidão. Assim como o jovem rico que cumpria todos os mandamentos ao indagar Jesus, sobre como obter a vida eterna e ao ter uma resposta tão confrontadora, virou as costas a Jesus por ter o seu coração enraizado nos tesouros dessa terra, nós nos colocamos na mesma posição que ele, colocamos ídolos no nosso coração, coisas ocupam o lugar que deve ser somente Dele e não nos damos conta do quanto isso é grave e nos afasta Dele, isso só tende a nos machucar e angustiar.

Minha oração é para que Deus nos alcance em sua infinita misericórdia, afim de que o busquemos na mesma intensidade que buscamos as coisas fúteis dessa vida. O mesmo tempo que passamos nas redes sociais, possamos dedicar em oração e suplicas para que tenhamos consciência que o amor dele é suficiente para vivermos, que o amor dele é o que preenche o nosso vazio, que acalma as nossas tempestades, que nos traz segurança na adversidade. Que saibamos que mesmo quando a doença chegar, o desemprego aparecer, a solidão fazer companhia, os sonhos não se realizarem ou que venha o que vier o amor dele é suficiente e sempre será.

Você que está com o coração partido diante dos percalços da vida, mas que ainda bate aí dentro de você, lembre-se do amor dele por você naquela cruz. A palavra de Deus nos diz:

“Nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor.Romanos 8:39

Descansa o teu coração, a minha e a sua segurança vem somente Dele. Seja satisfeito nele e o ame acima de todas as coisas. Lembre-se da mensagem da cruz, você á amado de verdade.

Bia Ferraz

Fica a dica: Amor que enche ( Laura Souguellis) 


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A menina da casa de Naamã

Olá meus queridos e minhas queridas!
A paz do Senhor!


A história de Naamã eu já conhecia, mas depois de ler mais uma vez notei algo que ainda não havia percebido.

Muita emoção, nenhuma conversão

A paz do Senhor meus queridos!
Como estão?
_______________________________________

Ao abrir meu painel do blogger hoje me deparei com uma atualização de um dos blogs que sigo, onde a notícia falava sobre uma apresentadora de um programa de televisão que chorou ao ouvir uma música de uma cantora evangélica, que enquanto a cantora fazia sua apresentação a moça ficou muito emocionada e a cantora também, enfim, vocês devem saber quem é.
Então decidi postar sobre isso hoje, falar um pouco sobre o emocionalismo extremo de muitos que se dizem cristãos, mas que após seus momentos maravilhosos na presença de Deus, simplesmente voltam à suas vidas normais. O que realmente deveria acontecer depois de uma emocionante noite de culto ou oração? Por que tantas pessoas choram, pulam, gritam, dançam, sapateiam ... Mas depois disso não há sequer um sinal de mudança na vida delas? Será que chorar ao ouvir lindos louvores significa algo? E se eu não chorar? Quer dizer que não estou sentindo a presença de…

A conversão de C. S. Lewis

Você, provavelmente, já ouviu falar no autor de "As Crônicas de Nárnia". Eu também, desde que conheci um pouco mais sobre ele, tive curiosidade em saber se ele era ateu ou cristão, pois (para bons entendedores) as Crônicas de Nárnia trazem uma mensagem com muitos valores cristãos, mas também contém muitas características duvidosas quanto ao que a história realmente quer transmitir. Então fiquei naquele impasse: Será  que é? Será que não é?

Hoje, decidi procurar um pouco mais sobre a vida dele e sanar minhas dúvidas. Agora quero compartilhar com vocês! Espero que gostem! =D