Pular para o conteúdo principal

Postagens

Carta para o coração que se partiu e ainda bate

Querido leitor, hoje quero falar sobre algo tão corriqueiro dos nossos dias e que ao mesmo tempo é crucial. Vivemos tão ocupados e enlouquecidos com as nossas rotinas e não nos damos conta do porque fazemos o que fazemos, não é?! Longe de querer ser clichê com esse assunto, escrevo com todo o temor que há no meu coração.
 Quantas vezes ao longo dessa estrada que é viver nos deparamos com inúmeras situações, algumas já planejadas por nossas ambições, outras, no entanto parecem cair como uma bomba na nossa direção e que inevitavelmente explode nos machucando, tirando a nossa paz e segurança. E sabemos que entre essas duas opções, as que mais acontecem são as que nos ferem, seja em forma de perda, ansiedade, relacionamentos, profissão, igreja, ministério, sonhos! Ah! Querido leitor, são tantas coisas que enfrentamos no cotidiano, tenho certeza que dariam ótimas histórias para o livro da vida.
O que desejo tratar aqui é o porquê de algumas aflições, afirmo que não tenho resposta para todas …
Postagens recentes

Só Deus sabe conjugar amor, afinal é o próprio verbo Amar!

Helloo Girls!
Que saudadinha de escrever. Eu pensei em vários assuntos pra postar, mas não iniciei nenhum e de repente, estava eu na casa da minhas primas. Nesse dia, estávamos assistindo vários filmes românticos (não estamos apaixonadas kkkkk),e um me chamou a atenção! Provavelmente você já assistiu, "Como se fosse a primeira vez". Chorei muito! E lembrei que eu já tinha feito uma aplicação da nossa vida com o filme "Porto seguro" (Meu primeiro textinho, confere lá...). Decidi fazer novamente. So, let's go!

O filme conta a história de Lucy (Drew Berrymore) e Henry (Adam Sandler). Henry é um veterinário marinho que tem uma fama de "garanhão", mas isso muda quando entra em uma lanchonete e encontra Lucy sentada brincando com a comida. A primeiro momento ele achou estranho, mas se aproximou dela e eles conversaram bastante. Decidiram se encontrar lá novamente. E assim aconteceu. Mas, quando Henry chegou pra conversar com ela, Lucy se afastou assustada.…

Mas o que é Mordomia Cristã?!

Quando você pensa na palavra "mordomia", o que vem a sua mente?
No cenário atual é nítido que o conceito de mordomia divulgado pela imprensa em geral é o de regalias no exercício da função pública. Mas aí você pode me dizer: “ah, mas eu sou cristã né?! E é óbvio que sei que mordomia não é viver uma vida de regalias". Hmm sei, mas sinto em lhe dizer que corremos um grande risco de não estarmos vivendo a mordomia bíblica em sua totalidade .
Aqui trataremos brevemente deste assunto, mas eu a encorajo a fazer um estudo pessoal aprofundado sobre o mesmo, pois tenho certeza que você crescerá muito no desenvolvimento de sua salvação se assim o fizer. Pois bem! Vamos pensar então em duas verdades e partindo delas compreender a mordomia cristã bíblica.

Quem é você?

Caro leitor, hoje quero falar sobre uma questão crucial na vida do cristão. Começo com uma pergunta comum: O que é identidade? (Conjunto de características que diferencia uma pessoa.)
Identidade é umas das questões mais fundamentais do ser humano. Quem sou eu? Para que existo? O mundo nos propõe várias respostas. Antigamente na sociedade, sua identidade dependia da sua classe social ou a qual família você pertencia. Para o Ateísmo, o homem é resultado do caos e o seu único propósito é sobreviver e reproduzir. O evangelho nos mostra quem somos de fato, a identidade permite que a pessoa seja reconhecida. Existem três demandas na vida de alguém: ser o que os outros desejam querem que sejamos, ser o que queremos ser e ser aquilo que Deus deseja que sejamos.

Nós podemos passar uma boa parte da nossa vida tentando ser o que os outros querem que a gente seja, o problema é que muitas vezes tentar ser o que os outros querem que a gente seja se torna uma grande prisão, queremos corresponder às e…

12 de Junho

Me recordo do dia 12 de junho de um tempo atrás. Eu estava lutando pela atenção de alguém, escrevi uma canção para ele que falava sobre a certeza de que pertenceríamos um ao outro para sempre. Eu o entreguei meu coração e dias depois ele não o quis mais, acho bem que ele nunca desejou recebê-lo de verdade. Talvez fosse compromisso demais para exigir de um garoto. Me lembro de como fiquei arrasada! Eu havia depositado todas as minhas esperanças e expectativas. "Apostamos tudo pra não voltar atrás" dizia a minha canção.

A minha missão

Falar sobre missão, a minha missão, não é uma tarefa muito fácil!
Sempre que me esforço a pensar nessa palavra, meu primeiro pensamento é o de uma tarefa, um objetivo a ser alcançado, tanto é que quando um de meus planos alcança sucesso tenho a sensação de missão cumprida.
Mas e quando essa missão diz respeito ao Reino de Deus? Penso que há em mim uma predisposição a enxergar com outros olhos, a refletir mais e a temer mais ao declarar qual, então, é a minha missão.

Uma vida de entrega!

Por que algumas pessoas parecem nunca crescer no Senhor? Por que oscilam de uma calamidade para outra, sem jamais conseguir ultrapassar o nível de sobrevivência? Por que raramente, se é que isso chega a ocorrer, experimentam a alegria do Senhor? O progresso espiritual? Um relacionamento mais íntimo com ele? A liberdade para agir na área de seus talentos? Por que não podem avançar para os propósitos e o destino que Deus tem para elas?

 A resposta, creio, está na palavra "rendição", ou "entrega". Essas pessoas não se renderam completamente a Deus. Não tornaram Jesus Cristo o verdadeiro Senhor de sua vida. 


 Entregar tudo significa dispor-se a dizer: "Senhor, o que quer que desejes que eu faça, farei. Concordo com qualquer coisa que me pedires, mesmo que isso importe em morrer para mim mesma e para meus anseios. Desistirei das coisas que minha carne deseja a fim de ter mais de Ti em minha vida. Orarei quado preferiria ir para a cama. Irei à igreja mesmo que ten…