Pular para o conteúdo principal

Eu, eu mesmo e Pedro

Agora não compreendes o que eu faço, mas depois entenderás.

Em uma conversa casual, refletindo sobre este versículo, algo nos chamou a atenção. 
Já ouvimos em muitas aplicações como temos atitudes semelhantes às dos personagens bíblicos, Adão é aquele citado para falar de quem não assume a responsabilidade dos seus atos e sempre joga a culpa em outra pessoa, ou Jonas quando foge do chamado de Deus, ou Moisés que sempre coloca um empecilho para aceitar a missão que Deus lhe confiou...
A reflexão de hoje nos aproxima mais uma vez de um personagem bíblico e nos traz algumas lições. Vamos juntos?


Jesus levantou-se da mesa, tirou o manto e, pegando uma toalha, colocou-a em volta da cintura. Em seguida, colocou água em uma bacia e começou a lavar os pés dos discípulos e a enxugá-los com a toalha que trazia em volta da cintura.
Aproximando-se de Simão Pedro, este lhe disse: Senhor, tu lavarás os meus pés? Jesus lhe respondeu: Agora não compreendes o que eu faço, mas depois entenderás. Respondeu-lhe Pedro: Nunca lavarás meus pés. Disse-lhe Jesus: Se eu não te lavar, não terás parte comigo.
Então Simão Pedro lhe disse: Senhor, não laves somente os pés, mas também as mãos e a cabeça. (João 13. 4-9)

Quantas vezes nós agimos como Pedro? Não apenas temos dificuldade para entender a ação de Jesus como não aceitamos (v. 8). Ele está trabalhando em nós, nos ensinando, sendo nosso referencial e nós teimamos e dizemos "Não, não é assim que se faz". Queremos sempre determinar como Deus deve agir, embora o modo de agir de Deus seja definido pelo próprio Deus. 

Vivemos em meio a uma geração de corações ressecados que não conseguem discernir os propósitos de Deus em suas vidas, perdendo a sensibilidade do viver sob a direção do Senhor. Talvez a definição propícia para a nossa geração seja: uma geração que decidiu viver no piloto automático.

Pedro não teve a sensibilidade de perceber a singularidade da ação de Jesus. Não soube desfrutar do afago carinhoso de Jesus. Ele agiu no piloto automático! Ele estava desatento ao que Jesus queria ensinar através daquele gesto.

Depois disso, Jesus dá uma condição a ele "Se eu não te lavar, não terás parte comigo." e Pedro novamente quer impor a Jesus o comportamento dele, é como se ele respondesse "Não faça como o Senhor quer, mas como eu quero, lave também as mãos e a cabeça". Na maioria das vezes, o nosso problema é não descansar entendendo que Jesus sabe o que está fazendo.

Dentre tantas lições, podemos ressaltar duas hoje:

1) Nós possuímos uma debilidade em entender a ação do Senhor e nós e por nós. Isso é resultado da queda! O pecado deixou nossa percepção maculada e por isso não conseguimos perceber as coisas que Deus está fazendo em nós e por meio de nós. O pecado nos cega e nos enrijece diante da delicadeza das ações de Jesus. 

2) Aquilo que Deus está fazendo sempre está de acordo com o seu propósito, por isso mesmo Ele nunca se desespera ou é pego de surpresa. Ele sempre cuida perfeitamente de todas as coisas para que venham a convergir em seu plano perfeito.

Diante disso, que atitudes são esperadas?

1) Precisamos saber esperar no intervalo entre o "agora" e o "depois".

2) Precisamos confiar no "Eu estou fazendo".

3) Precisamos buscar sensibilidade para perceber e reconhecer que Deus está agindo constantemente.

4) Precisamos lembrar a todo momento que o propósito de tudo está em Deus!

Que o Senhor nos ilumine!
Mariane Godoi e Jonathas Lopes

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A menina da casa de Naamã

Olá meus queridos e minhas queridas!
A paz do Senhor!


A história de Naamã eu já conhecia, mas depois de ler mais uma vez notei algo que ainda não havia percebido.

A conversão de C. S. Lewis

Você, provavelmente, já ouviu falar no autor de "As Crônicas de Nárnia". Eu também, desde que conheci um pouco mais sobre ele, tive curiosidade em saber se ele era ateu ou cristão, pois (para bons entendedores) as Crônicas de Nárnia trazem uma mensagem com muitos valores cristãos, mas também contém muitas características duvidosas quanto ao que a história realmente quer transmitir. Então fiquei naquele impasse: Será  que é? Será que não é?

Hoje, decidi procurar um pouco mais sobre a vida dele e sanar minhas dúvidas. Agora quero compartilhar com vocês! Espero que gostem! =D

Muita emoção, nenhuma conversão

A paz do Senhor meus queridos!
Como estão?
_______________________________________

Ao abrir meu painel do blogger hoje me deparei com uma atualização de um dos blogs que sigo, onde a notícia falava sobre uma apresentadora de um programa de televisão que chorou ao ouvir uma música de uma cantora evangélica, que enquanto a cantora fazia sua apresentação a moça ficou muito emocionada e a cantora também, enfim, vocês devem saber quem é.
Então decidi postar sobre isso hoje, falar um pouco sobre o emocionalismo extremo de muitos que se dizem cristãos, mas que após seus momentos maravilhosos na presença de Deus, simplesmente voltam à suas vidas normais. O que realmente deveria acontecer depois de uma emocionante noite de culto ou oração? Por que tantas pessoas choram, pulam, gritam, dançam, sapateiam ... Mas depois disso não há sequer um sinal de mudança na vida delas? Será que chorar ao ouvir lindos louvores significa algo? E se eu não chorar? Quer dizer que não estou sentindo a presença de…