Pular para o conteúdo principal

Esse é o meu plano, mas é a vontade dele?



Caro leitor, hoje quero falar sobre algo que reverbera as paredes do nosso coração, os nossos planos e sonhos. Escrevo esse breve texto com lágrimas nos olhos para você. Ao ler um texto bíblico me deparei com a minha fragilidade e pequenez diante do Deus que eu sirvo. Acredite, esse confronto é extremamente desconfortável, pois ele mostra quem eu realmente sou.

Ao longo da nossa existência fazemos planos, sonhamos, vivemos em busca dos nossos objetivos e ideias de vida, não digo que isso seja errado, podemos sonhar, planejar. Mas veja bem, quanto tempo, esforços, energia, investimento colocamos nas nossas idealizações humanas e falhas?! Vivemos em prol disso, seja em uma carreira profissional, um relacionamento, um ministério, viramos fanáticos e loucos por causa dos nossos desejos e anseios.

O nosso coração é movido por sonhos, desejos e muita corrupção. Fazemos tantos planos durante o dia, quem dirá durante toda uma vida, e se algo foge do nosso controle parece que o mundo está desmoronando lá fora, porque percebemos que as coisas nem sempre saem do jeito que desejamos e planejamos. Quando nos deparamos com essa realidade nos frustramos e ainda temos a audácia de culparmos aquele que morreu em nosso lugar, aquele que caminhou para a cruz em nosso favor. Até quando seremos imaturos a esse ponto? Precisamos de fato entender as escrituras sagradas e vive-la, do que adianta uma boa teologia se não houver a pratica dela?!


“Em seu coração o homem planeja o seu caminho, mas o Senhor determina os seus passos. ” (Provérbios 16.9)


Esse versículo fez o meu coração gritar, passou um filme em minha mente de todos os planos que fiz e que nem ao menos entreguei em oração a Deus para descansar em sua vontade, afirmo novamente, podemos sonhar, planejar. O problema é o nosso coração que não se importa, não se preocupa em saber e fazer a vontade de Deus. Nós nem ao menos apresentamos a ele os desejos do nosso coração, temos um baita medo de levar um NÃO tão escancarado que seguimos planejando e vivendo como se Deus não existisse, como se ele não se importasse com os caminhos que percorremos.


“Há caminhos que parece reto ao homem, mas no final conduz à morte. ”  (Provérbios 16.25)


O verso acima é claro e assombroso ao mesmo tempo, mas eu te pergunto: Por onde você tem caminhado? O que você tem planejado? Será que não temos caminhando para a morte por causa dos nossos planos? São respostas que só encontraremos em oração e na leitura da palavra de Deus. Aprenda a viver na dependência daquele que te ama e é perfeito em tudo que faz, abrir mão do nosso eu, confiar em Deus, é uma luta diária.

Se os seus planos têm lhe conduzido a morte, lembre-se que há um lugar que você pode voltar, ele te leva de volta para casa. Entregue e consagre ao Senhor todos os seus planos, busque se importar com a vontade dele para sua vida. O que ele tem preparado para nós é excelente, é maior e traz vida.  



“Pois os meus pensamentos não são os pensamentos de vocês, nem os seus caminhos são os meus caminhos, declara o Senhor. ” (Isaías 55.8) 



Com carinho,

Ana Beatriz Ferraz  

Fica a dica: Me leva pra casa - versão Gabriel Guedes ( Israel Subirá)



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A menina da casa de Naamã

Olá meus queridos e minhas queridas!
A paz do Senhor!


A história de Naamã eu já conhecia, mas depois de ler mais uma vez notei algo que ainda não havia percebido.

A conversão de C. S. Lewis

Você, provavelmente, já ouviu falar no autor de "As Crônicas de Nárnia". Eu também, desde que conheci um pouco mais sobre ele, tive curiosidade em saber se ele era ateu ou cristão, pois (para bons entendedores) as Crônicas de Nárnia trazem uma mensagem com muitos valores cristãos, mas também contém muitas características duvidosas quanto ao que a história realmente quer transmitir. Então fiquei naquele impasse: Será  que é? Será que não é?

Hoje, decidi procurar um pouco mais sobre a vida dele e sanar minhas dúvidas. Agora quero compartilhar com vocês! Espero que gostem! =D

Muita emoção, nenhuma conversão

A paz do Senhor meus queridos!
Como estão?
_______________________________________

Ao abrir meu painel do blogger hoje me deparei com uma atualização de um dos blogs que sigo, onde a notícia falava sobre uma apresentadora de um programa de televisão que chorou ao ouvir uma música de uma cantora evangélica, que enquanto a cantora fazia sua apresentação a moça ficou muito emocionada e a cantora também, enfim, vocês devem saber quem é.
Então decidi postar sobre isso hoje, falar um pouco sobre o emocionalismo extremo de muitos que se dizem cristãos, mas que após seus momentos maravilhosos na presença de Deus, simplesmente voltam à suas vidas normais. O que realmente deveria acontecer depois de uma emocionante noite de culto ou oração? Por que tantas pessoas choram, pulam, gritam, dançam, sapateiam ... Mas depois disso não há sequer um sinal de mudança na vida delas? Será que chorar ao ouvir lindos louvores significa algo? E se eu não chorar? Quer dizer que não estou sentindo a presença de…