Pular para o conteúdo principal

Transformando sonhos em bençãos



Sou apaixonada por música, sempre fui. Dizia que seria cantora um dia, faria shows, seria famosa. Cresci, com uns 10 ou 11 anos decidi tocar algum intrumento, aulas de teclado estavam dentro do orçamento então comecei, até gostei, estava aprendendo rápido, gostava das músicas, do som, de como cada nota se encaixava perfeitamente em cada melodia, embora os erros ou a dificuldade quanto à agilidade fossem desfavoráveis.

Mas o tempo passou,
 por alguns motivos troquei de professor, o método era outro, não estava adaptada, me senti pressionada, o som do instrumento, das notas atrapalhadas e da música incompleta me frustravam, eu não estava conseguindo, aos poucos ir às aulas se tornou tortura, decidi parar, não queria mais saber de tocar ou de pensar em um dia continuar com aquilo.
Escolhi outros sonhos, outros objetivos, aos 14 anos já havia me adaptado a ter música apenas como hobbie, foi quando, por Deus (hoje eu sei), conheci uma organista, minha mãe a contou que eu tocava e me obrigou me fez ir à casa dela para vê-la tocar e talvez até fazer aulas. Fui, ela era uma colega da igreja, me encantou com a maneira de falar e com seu caráter, me incentivou a voltar a tocar e eu fui!

No início fiquei insegura, mas ela me encorajou, novamente a paixão se aproximou, e por 4 meses me dediquei, mas então ela se mudou, para outro Estado e puff! Fiquei desconsolada, agora que estava indo tão bem, mas lembro-me bem do que ela disse antes de partir:
"Não pare de tocar, você tem um dom e você precisa continuar!"

Isso bastou. Depois de um tempo comecei a fazer aulas de em um projeto de música da minha cidade, me dediquei a aprender, a nova professora me contou sobre um conservatório de música, disse que eu poderia fazer o teste para entrar na tal escola. Tive novamente medo, eu não sabia o suficiente, teoria e solfejo não eram meu forte, mas então percebi que tudo não acontecera tão rápido naquele ano por acaso, percebi que havia algo por trás de tudo. De onde vinham as forças e o desejo de estudar? Por que as portas estavam sendo abertas?
Percebi que já não eram meus planos, eram os de Deus, a história já estava sendo escrita por Ele a muito tempo, então disse:

"Deus, se não for a Tua vontade não me deixe passar nem pelo primeiro teste, não me deixe perder tempo com o que não será o Teu querer para mim!".
Perseverei na oração, nos intesos estudos, contei com a intercessão de grandes amigos, estudei o mês anterior à minha prova em um piano da igreja sede como uma condenada e Deus me proveu o necessário, não faltou dinheiro para a passagem do ônibus, não faltou ânimo. Embora o medo por estar fazendo o que talvez fosse meu proprio querer ainda me incomodasse.

Ontem se completou 4 meses que fiz o primeiro teste e dia 13 vão fazer 4 meses que estou estudando Piano no conservatório de música! Deus fez a parte dEle e continua fazendo! Está transformando meus sonhos em bençãos para que eu possa multiplicar os talentos e devolvê-los quando Ele voltar!


Isso é tudo pessoal!
Esse é o motivo de muitas vezes eu não aparecer pelo blog, Deus tem provido e eu preciso fazer a minha parte estudando e me dedicando para dar o meu melhor na obra dEle!
Espero que esse pequeno testemunho sirva de inspiração de Deus para vocês! ^^

Com carinho.
Mariane Godoi.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A menina da casa de Naamã

Olá meus queridos e minhas queridas!
A paz do Senhor!


A história de Naamã eu já conhecia, mas depois de ler mais uma vez notei algo que ainda não havia percebido.

Eu, eu mesmo e Pedro

Agora não compreendes o que eu faço, mas depois entenderás.
Em uma conversa casual, refletindo sobre este versículo, algo nos chamou a atenção.  Já ouvimos em muitas aplicações como temos atitudes semelhantes às dos personagens bíblicos, Adão é aquele citado para falar de quem não assume a responsabilidade dos seus atos e sempre joga a culpa em outra pessoa, ou Jonas quando foge do chamado de Deus, ou Moisés que sempre coloca um empecilho para aceitar a missão que Deus lhe confiou... A reflexão de hoje nos aproxima mais uma vez de um personagem bíblico e nos traz algumas lições. Vamos juntos?

Muita emoção, nenhuma conversão

A paz do Senhor meus queridos!
Como estão?
_______________________________________

Ao abrir meu painel do blogger hoje me deparei com uma atualização de um dos blogs que sigo, onde a notícia falava sobre uma apresentadora de um programa de televisão que chorou ao ouvir uma música de uma cantora evangélica, que enquanto a cantora fazia sua apresentação a moça ficou muito emocionada e a cantora também, enfim, vocês devem saber quem é.
Então decidi postar sobre isso hoje, falar um pouco sobre o emocionalismo extremo de muitos que se dizem cristãos, mas que após seus momentos maravilhosos na presença de Deus, simplesmente voltam à suas vidas normais. O que realmente deveria acontecer depois de uma emocionante noite de culto ou oração? Por que tantas pessoas choram, pulam, gritam, dançam, sapateiam ... Mas depois disso não há sequer um sinal de mudança na vida delas? Será que chorar ao ouvir lindos louvores significa algo? E se eu não chorar? Quer dizer que não estou sentindo a presença de…