Pular para o conteúdo principal

Grito de Liberdade

Temos visto durante todo o ano pessoas gritando, gritando por seus direitos, gritando por causa da indignação, gritando por mudanças, vemos homens, mulheres, jovens... Gente como eu e como você, que busca um ideal, que busca uma razão. E essa tal razão, esse tal grito, será ouvido?



A todo tempo estamos gritando, nossas ações gritam, nossos pensamentos gritam, nossas palavras, mesmo quando abafadas, gritam. E gritamos acima de tudo por liberdade, porque procuramos e não encontramos, porque sonhamos acordados com o dia em que alcançaremos.
E continuamos a querer nos libertar dos medos, ansiedades, frustrações, nos escondemos atrás da imagem de fortes e, de algum jeito, o grande desejo de sermos livres nos aprisiona. Por quê? Para quê?

Buscar a felicidade no vazio de nós mesmos é o que nos perde, a Bíblia diz: "Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres."
João 8:36

Jesus dizia, pois, aos judeus que criam nele: Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sereis meus discípulos;E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.Responderam-lhe: Somos descendência de Abraão, e nunca servimos a ninguém; como dizes tu: Sereis livres?Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que todo aquele que comete pecado é servo do pecado.Ora o servo não fica para sempre em casa; o Filho fica para sempre.Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres.
João 8:31-36
E como os judeus somos nós, dizendo que sabemos o caminho da liberdade e que temos a fórmula para ela nos transformando em religiosos, robôs disfarçados de cristãos que só sabem repetir frases clichês e vivem mais fora da realidade do que muitos dos que não creem, tudo isso porque a todo momento estamos sendo tentados a viver uma vida cada vez mais cômoda e longe da vontade de Deus. 

Seremos nós como aqueles que pregavam e não viviam, como os que conhecem a causa dos problemas e escolhem permanecer inertes? Despertemos como os gigantes e vamos à luta pelos nossos irmãos que sofrem em busca da verdadeira liberdade!

Esse grito de liberdade deve ser real e constante em nossas vidas, todos os dias devemos nos levantar e gritar que não podemos nos conformar com o mundo, não podemos nos acomodar e pensar que tudo está bem se acaba bem. Deus é aquele que não nega ajuda quando pedimos por ela, Ele nos ensina que a verdadeira liberdade vai além de andar dependendo de outros, do nome de outros, a verdadeira liberdade é aquela que vem do Filho, ultrapassa nossos maiores medos e nos faz plenos. Grite!


_________________________________________________________________________

Heey! Queridos, pela graça e bondade de Deus estamos de volta com o blog, é muito bom saber que Deus tem nos dado a oportunidade de anunciar então não podemos parar não é mesmo?
Sinta-se à vontade para participar também enviando sugestões através do e-mail destinadasaoceu@gmail.com

Com amor,
Mari Godoi 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A menina da casa de Naamã

Olá meus queridos e minhas queridas!
A paz do Senhor!


A história de Naamã eu já conhecia, mas depois de ler mais uma vez notei algo que ainda não havia percebido.

Só Deus sabe conjugar amor, afinal é o próprio verbo Amar!

Helloo Girls!
Que saudadinha de escrever. Eu pensei em vários assuntos pra postar, mas não iniciei nenhum e de repente, estava eu na casa da minhas primas. Nesse dia, estávamos assistindo vários filmes românticos (não estamos apaixonadas kkkkk),e um me chamou a atenção! Provavelmente você já assistiu, "Como se fosse a primeira vez". Chorei muito! E lembrei que eu já tinha feito uma aplicação da nossa vida com o filme "Porto seguro" (Meu primeiro textinho, confere lá...). Decidi fazer novamente. So, let's go!

O filme conta a história de Lucy (Drew Berrymore) e Henry (Adam Sandler). Henry é um veterinário marinho que tem uma fama de "garanhão", mas isso muda quando entra em uma lanchonete e encontra Lucy sentada brincando com a comida. A primeiro momento ele achou estranho, mas se aproximou dela e eles conversaram bastante. Decidiram se encontrar lá novamente. E assim aconteceu. Mas, quando Henry chegou pra conversar com ela, Lucy se afastou assustada.…

A conversão de C. S. Lewis

Você, provavelmente, já ouviu falar no autor de "As Crônicas de Nárnia". Eu também, desde que conheci um pouco mais sobre ele, tive curiosidade em saber se ele era ateu ou cristão, pois (para bons entendedores) as Crônicas de Nárnia trazem uma mensagem com muitos valores cristãos, mas também contém muitas características duvidosas quanto ao que a história realmente quer transmitir. Então fiquei naquele impasse: Será  que é? Será que não é?

Hoje, decidi procurar um pouco mais sobre a vida dele e sanar minhas dúvidas. Agora quero compartilhar com vocês! Espero que gostem! =D