Pular para o conteúdo principal

Afrodite ou Cristo?

É impossível exagerar a respeito da importância de obter a perspectiva de Deus sobre o amor. Todos os hábitos negativos do namoro podem ser associados à adoção das atitudes de um mundo caído em relação ao amor. E o conflito entre as definições de amor feitas por Deus e pelo mundo não é novo. Os cristãos sempre puderam escolher entre imitar o Mestre ou deslizar para um padrão mais sedutor oferecido pelo mundo.

O apóstolo Paulo compreendeu este conflito quando escreveu o seu famoso capitulo sobre o amor as cristãos que moravam em Corinto. Ele deve ter se dado conta da ironia da sua tarefa. Nos dias de Paulo, escrever aos coríntios sobre o amor de Deus seria o equivalente de hoje a escrever uma carta sobre os valores familiares para Hollywood.
"Coríntio" era sinônimo de imoralidade. "Dar uma de coríntio" era entregar-se ao prazer sexual. Uma "garota coríntia" era um outro modo de dizer prostituta. Como Paulo podia ter esperança de transmitir um entendimento do puro amor de Deus a uma cidade mergulhada em perversão?

O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. (1 Cor 13: 4)

A agitada e cosmopolita cidade portuária tinha elevado o sexo a uma busca religiosa. O templo de Afrodite, a deusa grega do amor, empregava mil prostitutas. Como é que estas pessoas poderiam compreender o verdadeiro significado da declaração "Deus é amor" (1 Jo 4:16) quando em cada esquina e de cada bordel alguém oferecia a eles a sua versão de "amor" - prazer sexual? Será que enxergariam a verdade e a beleza do verdadeiro amor em meio a sedução de sua versão falsificada?

Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. (1 Cor 13:5)

Seria Afrodite ou Cristo que triunfaria em Corinto? A sensualidade expulsaria o servir aos outros? A sexualidade teria prioridade sobre a abnegação?  Será que os leitores da humilde carta de Paulo escolheriam o que é eterno ou os prazeres fugazes do momento?

Hoje os cristãos enfrentam o mesmo conflito. Apesar de estarem separados por dois mil anos, há semelhanças de sobra entre a nossa cultura e a de Corintio. Mais do que nunca o sexo é um item à disposição. A sensualidade e a sexualidade exageradas nos chamam a cada esquina, se não dos bordéis, então das bancas de revistas e cartazes. "Amor é sexo" sussurra uma propaganda da Calvin Klein. "Sexo é prazer" declara um filme. E no rádio, "O prazer é tudo que importa" é cantado docemente nos nossos ouvidos.

Em meio a esta avalanche, a mensagem silenciosa de Deus a respeito do amor verdadeiro ainda fala àqueles que escolhem prestar atenção.

Você consegue ouvi-la? Guarde a revista. Desligue o videocassete. Tire a tomada do equipamento de som e ouça...

O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo protege, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor nunca perece. (1 Cor 13:6-8)

Trecho extraído do livro: Eu Disse Adeus ao Namoro (Joshua Harris)

Comentários

  1. Que texto ótimo.
    Essa cultura grotesca de hoje tenta transformar o amor em lascívia.

    Deus te abençoe
    Beijo
    | Blog O Fruto do Sonho de Deus | Instagram |

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente é vdd Cah! Mas é bom saber q temos em Jesus o exemplo verdadeiro de amor! *---*

      Deus abençoe! Bjão

      Excluir

Postar um comentário

Olá!!
Sinta-se livre para expressar sua opinião sobre o que leu aqui, queremos mesmo saber o que você pensa!
Muito obrigada pela visita e pelo comentário!
Deus te abençoe! ♥
DAC

Postagens mais visitadas deste blog

A menina da casa de Naamã

Olá meus queridos e minhas queridas!
A paz do Senhor!


A história de Naamã eu já conhecia, mas depois de ler mais uma vez notei algo que ainda não havia percebido.

Só Deus sabe conjugar amor, afinal é o próprio verbo Amar!

Helloo Girls!
Que saudadinha de escrever. Eu pensei em vários assuntos pra postar, mas não iniciei nenhum e de repente, estava eu na casa da minhas primas. Nesse dia, estávamos assistindo vários filmes românticos (não estamos apaixonadas kkkkk),e um me chamou a atenção! Provavelmente você já assistiu, "Como se fosse a primeira vez". Chorei muito! E lembrei que eu já tinha feito uma aplicação da nossa vida com o filme "Porto seguro" (Meu primeiro textinho, confere lá...). Decidi fazer novamente. So, let's go!

O filme conta a história de Lucy (Drew Berrymore) e Henry (Adam Sandler). Henry é um veterinário marinho que tem uma fama de "garanhão", mas isso muda quando entra em uma lanchonete e encontra Lucy sentada brincando com a comida. A primeiro momento ele achou estranho, mas se aproximou dela e eles conversaram bastante. Decidiram se encontrar lá novamente. E assim aconteceu. Mas, quando Henry chegou pra conversar com ela, Lucy se afastou assustada.…

A conversão de C. S. Lewis

Você, provavelmente, já ouviu falar no autor de "As Crônicas de Nárnia". Eu também, desde que conheci um pouco mais sobre ele, tive curiosidade em saber se ele era ateu ou cristão, pois (para bons entendedores) as Crônicas de Nárnia trazem uma mensagem com muitos valores cristãos, mas também contém muitas características duvidosas quanto ao que a história realmente quer transmitir. Então fiquei naquele impasse: Será  que é? Será que não é?

Hoje, decidi procurar um pouco mais sobre a vida dele e sanar minhas dúvidas. Agora quero compartilhar com vocês! Espero que gostem! =D