Pular para o conteúdo principal

Às mães!


Compramos presentes, elogiamos, saímos para comer em função das comemorações. Fazemos muitas outras coisas, afinal, é o Dia das Mães!

Mas você sabe o que significa ser mãe?

Ser mãe é trabalhar muito mesmo sem um emprego, sem um salário ou horário fixo, às vezes de manhã, tarde e noite, e até de madrugada!
Ser mãe é abrir mão de muitos desejos próprios pelo que os filhos querem.
Ser mãe não é só dizer "Eu te avisei" quando as coisas dão errado, mas é amar, perdoar e consolar.Ser mãe é insistir mais um pouquinho e aconselhar com paciência aquele filho "cabeça dura".Ser mãe é servir sem esperar ser servida. É ajudar sem querer nada em troca.Ser mãe é amar incondicionalmente.

Existem muitas mães que nunca tiveram filhos biológicos mas que cuidam dos que lhes são confiados como se estivessem ligados desde o ventre. Existem muitas mães espirituais, muitas mães de alunos, mães de funcionários, tantas mães! Ser mãe não é algo apenas comprovado por documento, ser mãe é um estilo de vida!

Nós filhos, pedimos perdão pelas vezes em que não ouvimos seus conselhos nem obedecemos seus pedidos, pedimos perdão por reclamar tanto! A verdade é que precisamos uns dos outros, precisamos de vocês e precisamos desse amor! Não deixem de acreditar em nós! Apesar de tudo, nós amamos vocês!
Seremos eternamente gratos pela vida de vocês, mães!

"Reveste-se de força e dignidade; sorri diante do futuro.Fala com sabedoria e ensina com amor.Cuida dos negócios de sua casa e não dê lugar à preguiça.Seus filhos se levantam e a elogiam; seu marido também elogia, dizendo: Muitas mulheres são exemplares, mas você as supera!A beleza é enganosa, e a formosura é passageira, mas a mulher que teme ao Senhor será elogiada." Pv 31:25-30

Nós, do blog DAC, desejamos as bençãos de Deus à todas as mamães! 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A menina da casa de Naamã

Olá meus queridos e minhas queridas!
A paz do Senhor!


A história de Naamã eu já conhecia, mas depois de ler mais uma vez notei algo que ainda não havia percebido.

Cartas para o coração: Quando se sentir sozinha...

Estou há um mês e meio morando fora de casa. Tenho 20 anos e isso nunca aconteceu antes, era difícil conseguir permissão para dormir na casa "dazamigas", então morar em outro estado foi um divisor de águas na minha casa, minha família e minha vida! Sou do interior de São Paulo e precisei me mudar para a capital do Rio de Janeiro para estudar no Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil (atual Faculdade Batista do Rio de Janeiro). Até chegar onde estou muitas coisas aconteceram e, se Deus quiser, um dia contarei com mais detalhes para vocês! Ainda estou num tempo de adaptação e com certeza sou um bebê no quesito "experiência", é cedo pra falar do que estou começando a aprender! Hoje, porém, gostaria de falar o que eu gostaria de ouvir antes de vir pra cá e mesmo antes de qualquer situação em que eu me sentiria sozinha mesmo no meio de tantas pessoas, sem propósitos mesmo com tantas responsabilidades. 

A Cabana - A Perda da Arte do Discernimento Cristão

"O mundo editorial vê poucos livros atingirem o status de "sucesso". No entanto, o livro A Cabana, escrito por William Paul Yong, superou esse status. O livro, publicado originalmente pelo próprio autor e dois amigos, já vendeu mais de dez milhões de cópias e já foi traduzido para mais de trinta idiomas. É, agora, um dos livros mais vendidos de todos os tempos, e seus leitores estão entusiasmados.

De acordo com Young, o livro foi escrito originalmente para seus próprios filhos. Em essência, ele pode ser descrito como uma teodicéia em forma de narrativa – uma tentativa de responder à questão do mal e do caráter de Deus por meio de uma história. Nessa história, o personagem principal está entristecido por causa do rapto e do assassinato brutal de sua filha de sete anos, quando recebe aquilo que se torna uma intimação de Deus para encontrá-lo na mesma cabana em que a menina foi morta.
Na cabana, "Mack" se encontra com a Trindade divina, onde Deus, o…