Pular para o conteúdo principal

Música e Adoração

Bom dia queridas! Como estão?

Umas das minhas colunas aqui no blog é sobre música *-------------*
Vamos falar hoje sobre o a música no conceito de adoração. Muitos pensam que adoração é somente a música que entoamos a Deus nos cultos, ou então fazem da adoração algo fútil ou tão somente emocional (através de músicas que fogem do que a Bíblia diz ou que nem ao menos adoram a Deus, mas a nós mesmos, apenas exaltam nosso ego). A adoração é um estilo de vida e as músicas devem contribuir para a nossa adoração, mas para que isso aconteça, as músicas que cantamos nos nossos cultos devem ser bíblicas, nossa adoração necessita ser bíblica, se assim não for, não estaremos adorando a Deus.

A adoração é a missão primeira da Igreja em termos gerais. É a linha vertical da missão da Igreja. A proclamação é a missão segunda da Igreja em termos gerais, mas é a primeira na linha horizontal, na direção do mundo. Vertical e horizontal fazem a cruz, que tem estas duas linhas. Se faltar uma delas, a cruz não existe. A Igreja é uma comunidade profundamente marcada pela cruz. É ela uma comunidade marcada pelas linhas horizontal e vertical. Sua missão tem também uma dimensão horizontal e outra vertical. Se ela viver enclausurada em adoração, só na dimensão vertical, isso pouco ajudará ao mundo. Se se dirigir ao mundo (a dimensão horizontal) sem o poder que a comunhão com Deus pela adoração outorgada ao homem, isso será uma missão fadada ao fracasso. Só uma Igreja que vive na presença de Deus conseguirá mostrar Deus ao mundo. Como comunidade marcada pela cruz, a Igreja se dirige a Deus e ao mundo. Tem uma missão vertical e uma horizontal. Ela adora a Deus, sua razão primeira de ser. Ela proclama a reconciliação aos homens, consequência do seu conhecimento de Deus. (A Adoração e a Proclamação - Cante as Escrituras)

Jesus disse: "No entanto, está chegando a hora, e de fato já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade. São estes os adoradores que o Pai procura." João 4:23
Nossas músicas de adoração a Deus devem ser racionais, ou seja, temos que entender o que estamos cantando, não somente dizer que o que vale é o coração e não a letra (fazendo assim poderíamos cantar com toda emoção uma infinidade de 'hinos' que nem sequer fazem sentido). Não é, Deus nos deu toda capacidade de raciocinar, criticar e avaliar o que cantamos, nos posicionar até mesmo diante de tudo o que a mídia gospel nos oferece e selecionar aquilo que é baseado nas escrituras, que é para a verdadeira adoração, a que é em Espírito e em verdade.
Como disse John Piper: “Deus é mais glorificado em nós quando estamos mais satisfeitos nEle.” A verdadeira adoração não precisa dos melhores músicos e nem de músicas que fazem a igreja "pegar fogo", ela precisa vir de músicos e crentes que fazem o seu melhor para Deus, ela satisfaz a nossa alma!

Que vocês busquem isso: se aperfeiçoar em Deus, adorá-lo no que Ele é e assim, como uma consequência, se aproximar dEle e da sua vontade. Que você viva para adorar!

Com amor,
Mari s2

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A menina da casa de Naamã

Olá meus queridos e minhas queridas!
A paz do Senhor!


A história de Naamã eu já conhecia, mas depois de ler mais uma vez notei algo que ainda não havia percebido.

Só Deus sabe conjugar amor, afinal é o próprio verbo Amar!

Helloo Girls!
Que saudadinha de escrever. Eu pensei em vários assuntos pra postar, mas não iniciei nenhum e de repente, estava eu na casa da minhas primas. Nesse dia, estávamos assistindo vários filmes românticos (não estamos apaixonadas kkkkk),e um me chamou a atenção! Provavelmente você já assistiu, "Como se fosse a primeira vez". Chorei muito! E lembrei que eu já tinha feito uma aplicação da nossa vida com o filme "Porto seguro" (Meu primeiro textinho, confere lá...). Decidi fazer novamente. So, let's go!

O filme conta a história de Lucy (Drew Berrymore) e Henry (Adam Sandler). Henry é um veterinário marinho que tem uma fama de "garanhão", mas isso muda quando entra em uma lanchonete e encontra Lucy sentada brincando com a comida. A primeiro momento ele achou estranho, mas se aproximou dela e eles conversaram bastante. Decidiram se encontrar lá novamente. E assim aconteceu. Mas, quando Henry chegou pra conversar com ela, Lucy se afastou assustada.…

A conversão de C. S. Lewis

Você, provavelmente, já ouviu falar no autor de "As Crônicas de Nárnia". Eu também, desde que conheci um pouco mais sobre ele, tive curiosidade em saber se ele era ateu ou cristão, pois (para bons entendedores) as Crônicas de Nárnia trazem uma mensagem com muitos valores cristãos, mas também contém muitas características duvidosas quanto ao que a história realmente quer transmitir. Então fiquei naquele impasse: Será  que é? Será que não é?

Hoje, decidi procurar um pouco mais sobre a vida dele e sanar minhas dúvidas. Agora quero compartilhar com vocês! Espero que gostem! =D