Pular para o conteúdo principal

O Presente imerecido do Pai

 
 A graça de Deus é a razão pela qual estamos vivos. É a razão da vida. Desde a criação do mundo Deus já derramava sua graça sobre tudo. Fez os céus, a terra e tudo o que há nela para que pudéssemos um viver bem, e adora-Lo através disso.
 Ele se compadeceu de nós e nos amou em cada detalhe dessa criação, e essa criação, hoje, abençoa a vida de todos, sem exceção, de justos e maus, como diz em Mateus 5:45 “ Para que vocês se tornem filhos do Pai de vocês, que está no céu. Porque Ele faz com que o sol brilhe sobre os bons e sobre os maus e dá a chuva tanto para os que fazem o bem, quando para os que faze o mal”. Essa é a chamada graça comum. O bem imerecido de Deus através da sua preciosa criação.
 O Salmo de número 23 diz que a bondade e o amor de Deus nos seguirão todos os dias, isso significa que a graça Dele também nos seguirá, pois não merecemos o Seu amor, mas mesmo assim ele cuida de nós e nos sustenta.
 Contudo, entre tantas outras manifestações destra graça, está a nossa salvação por meio da morte de Jesus.
 Efésio 2:8-9 diz que somos salvos pela graça de Deus e pela fé que Ele nos dá. Não é resultado de nada que fizemos, pois o que fizemos nos levaria a morte, mas a misericórdia de Deus nos livrou dessa condenação.
 Jesus foi entregue para ser crucificado e nos lavar do pecado com todo o Seu sangue quando merecíamos estar no Seu lugar. E essa é a maior manifestação da Graça e do Amor de Deus por nós.
 Agora, nós podemos desfrutar disso tendo livre acesso ao Pai, temos paz, esperança e alegria plena.
 "A graça de Deus é o favor imerecido para com a humanidade. É a Sua pré-disposição positiva de fazer o bem, de ajudar e de abençoar toda a Sua criação!"
                                                                                                                     Poli
 
 
 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A menina da casa de Naamã

Olá meus queridos e minhas queridas!
A paz do Senhor!


A história de Naamã eu já conhecia, mas depois de ler mais uma vez notei algo que ainda não havia percebido.

A conversão de C. S. Lewis

Você, provavelmente, já ouviu falar no autor de "As Crônicas de Nárnia". Eu também, desde que conheci um pouco mais sobre ele, tive curiosidade em saber se ele era ateu ou cristão, pois (para bons entendedores) as Crônicas de Nárnia trazem uma mensagem com muitos valores cristãos, mas também contém muitas características duvidosas quanto ao que a história realmente quer transmitir. Então fiquei naquele impasse: Será  que é? Será que não é?

Hoje, decidi procurar um pouco mais sobre a vida dele e sanar minhas dúvidas. Agora quero compartilhar com vocês! Espero que gostem! =D

Muita emoção, nenhuma conversão

A paz do Senhor meus queridos!
Como estão?
_______________________________________

Ao abrir meu painel do blogger hoje me deparei com uma atualização de um dos blogs que sigo, onde a notícia falava sobre uma apresentadora de um programa de televisão que chorou ao ouvir uma música de uma cantora evangélica, que enquanto a cantora fazia sua apresentação a moça ficou muito emocionada e a cantora também, enfim, vocês devem saber quem é.
Então decidi postar sobre isso hoje, falar um pouco sobre o emocionalismo extremo de muitos que se dizem cristãos, mas que após seus momentos maravilhosos na presença de Deus, simplesmente voltam à suas vidas normais. O que realmente deveria acontecer depois de uma emocionante noite de culto ou oração? Por que tantas pessoas choram, pulam, gritam, dançam, sapateiam ... Mas depois disso não há sequer um sinal de mudança na vida delas? Será que chorar ao ouvir lindos louvores significa algo? E se eu não chorar? Quer dizer que não estou sentindo a presença de…