Pular para o conteúdo principal

Da vida, o melhor!



Caro leitor, essa é minha primeira reflexão no blog e é com muito prazer que peço-lhe licença para compartilhar algumas experiências e percepções que tenho sobre a vida cristã e a vida cotidiana que, na verdade, são uma coisa só.

Confesso que tive algumas dúvidas sobre o que escrever, já que existem inúmeros pontos cruciais da caminhada cristã que podem ser abordados, mas existe um assunto que tem tomado conta dos meus dias, algo que geralmente passa despercebido na nossa rotina.


Já percebeu quanto tempo desperdiçamos em coisas fúteis? Quais têm sido nossas prioridades? São elas que governam os nossos dias e são elas o grande reflexo do que vai em nosso coração. Uma singela olhadela pro nosso coração já nos causa calafrios, não? Como somos miseráveis diante do Senhor!

Mas calma, apesar de tudo e apesar até mesmo de nós, o Senhor ainda nos ama. Ele nos transforma graciosamente e por misericórdia, Sua bondade ainda nos persegue. A palavra de Deus em Provérbios 20.5 diz: "os propósitos do coração do homem são águas profundas, mas quem tem discernimento os traz a tona." Eu imagino quantas coisas temos guardadas dentro de nós, mas uma coisa é fato: somos eternos insatisfeitos. Reclamamos de tudo, nada nunca está bom.

Quando realizamos um sonho, alcançamos um objetivo, vencemos uma meta, nunca nos contentamos. Não estou dizendo que não devemos sonhar ou ter expectativas na vida, tudo isso é muito bom, o que desejo aqui, é refletir sobre o quanto estamos enraizados nas coisas desse mundo. Vivemos como se essa terra fosse o ápice de todo ser humano. A verdade é que nos esquecemos que somos peregrinos nesse mundo e que caminhamos para a eternidade, a qual Deus nos concedeu por meio da morte do seu filho amado Jesus, e isso é absolutamente incrível! Na verdade é o que de mais incrível há na historia humana!

Estou falando da esperança que deve governar o nosso ser. Tenho aprendido que quanto mais nós vivemos para os nossos desejos, para as coisas desse mundo, mais insatisfeitos somos. Quanto mais vivemos para nós mesmos, mais nos tornamos a nossa própria fonte de satisfação.

No evangelho de Mateus, no capítulo seis, Cristo nos adverte: "Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça e todas essas coisas serão acrescentadas a vocês." Cristo vai direto ao ponto e nas entrelinhas diz: "vocês devem buscar somente a mim, mesmo que busquem outras coisas, a vida de vocês será vazia e sem sentido, não adianta viverem sem que Eu seja o centro de suas vidas."

Você pode pensar: mas eu frequento a igreja, vou a todos os cultos, faço parte do ministério de louvor, dou aula na escola bíblica, etc. Eu te garanto que mesmo fazendo todas essas coisas você pode não estar buscando a Deus e sim os seus próprios interesses, só vamos saber a realidade nua e crua do nosso coração se estivermos dispostos a esse confronto honesto e diário com o Espírito Santo a respeito das reais motivações que nos levam a fazer o que fazemos e a viver da forma que vivemos.

Nosso coração tem raízes profundas, que na maioria das vezes nós desconhecemos, mas Aquele que nos chamou pelo nosso nome conhece de uma forma plena e mais do que isso, Ele nos transforma de glória em glória. Sei que indiretamente falei sobre vários assuntos, mas um somente é necessário: Cristo deve ser nossa fonte de satisfação, devemos lutar todos os dias contra as nossas insatisfações, para que sejamos gratos a Deus independentemente da situação em que estivermos vivendo, não importa o que estejamos enfrentando, Ele é tudo, e isso basta.

Minha oração é que aprendamos a ser gratos por quem Ele é para nós, e que o nosso coração esteja sempre firmado Nele. Que Ele seja o Rei de fato e que vivamos somente pra Ele, porque para nós Ele é da vida, o melhor.

"Ele é antes de todas as coisas e nele tudo subsiste." Colossenses 1.17 


Com carinho,
Bia Ferraz  

Fica a dica: Da vida, o melhor. (Projeto Sola).




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Carta para o coração que se partiu e ainda bate

Querido leitor, hoje quero falar sobre algo tão corriqueiro dos nossos dias e que ao mesmo tempo é crucial. Vivemos tão ocupados e enlouquecidos com as nossas rotinas e não nos damos conta do porque fazemos o que fazemos, não é?! Longe de querer ser clichê com esse assunto, escrevo com todo o temor que há no meu coração.
 Quantas vezes ao longo dessa estrada que é viver nos deparamos com inúmeras situações, algumas já planejadas por nossas ambições, outras, no entanto parecem cair como uma bomba na nossa direção e que inevitavelmente explode nos machucando, tirando a nossa paz e segurança. E sabemos que entre essas duas opções, as que mais acontecem são as que nos ferem, seja em forma de perda, ansiedade, relacionamentos, profissão, igreja, ministério, sonhos! Ah! Querido leitor, são tantas coisas que enfrentamos no cotidiano, tenho certeza que dariam ótimas histórias para o livro da vida.
O que desejo tratar aqui é o porquê de algumas aflições, afirmo que não tenho resposta para todas …

A menina da casa de Naamã

Olá meus queridos e minhas queridas!
A paz do Senhor!


A história de Naamã eu já conhecia, mas depois de ler mais uma vez notei algo que ainda não havia percebido.

A conversão de C. S. Lewis

Você, provavelmente, já ouviu falar no autor de "As Crônicas de Nárnia". Eu também, desde que conheci um pouco mais sobre ele, tive curiosidade em saber se ele era ateu ou cristão, pois (para bons entendedores) as Crônicas de Nárnia trazem uma mensagem com muitos valores cristãos, mas também contém muitas características duvidosas quanto ao que a história realmente quer transmitir. Então fiquei naquele impasse: Será  que é? Será que não é?

Hoje, decidi procurar um pouco mais sobre a vida dele e sanar minhas dúvidas. Agora quero compartilhar com vocês! Espero que gostem! =D