Pular para o conteúdo principal

Escola, pra quê?

Passamos muito tempo de nossas vidas dentro de uma sala de aula, são horas e horas gastas com trabalhos, tarefas e estudos para provas. Na maioria das vezes nos questionamos o por quê de tudo isso e o quanto do que aprendemos iremos levar para a vida toda.
Eu sempre fiz essa pergunta, principalmente à professora de matemática: Mas por que aprender isso se eu não vou usar depois que sair da escola?

E pensando tanto em "porquês" deixamos o "para quê" de lado.
Na escola, estamos cercados de pessoas, todos diferentes (em quase e por que não dizer tudo?), mas nós também temos um diferencial, temos uma missão também dentro das escolas.
Não significa fazer coisas diferentes, mas de maneira diferente. Podemos escolher fazer a lição ou copiar, podemos estudar ou colar, podemos responder, reclamar, fazer piadas idiotas dos colegas (e rir delas) ou transmitir palavras de amor, não seremos como "santinhos" nem mesmo hipócritas, seremos amigos, iremos brincar, conversar, levar a sério o tempo que Deus nos tem dado na escola. Não podemos deixar que as manifestações de Bulliyng sejam tão comuns a ponto de se tornarem normais, nossa vida escolar tem que ser firmada em uma cosmovisão (visão de mundo) cristã, não dá pra ser alguém na escola e ser diferente disso na igreja, e diferente disso com a família, devemos ser autênticos e, principalmente, sinceros com nós mesmos: "Estou levando a sério minha vida escolar ou só empurrando com a barriga?" "Estou me deixando influenciar pelas pessoas ao meu redor ou estou sendo influenciador?" "Como reajo quando alguém na escola faz uma piada sobre mim? Devolvo da mesma maneira ou demonstro não concordar e defendo minha posição de maneira sábia?" "E quanto à piadas sobre os outros?".

Quando Daniel e seus amigos foram levados cativos para a Babilônia (um lugar onde não havia o temor de Deus) para aprender sobre a cultura e a língua daquele povo eles não tiveram escolha, mas ainda assim souberam ser diferentes onde estavam, e a fidelidade deles resultou na conversão do rei da Babilônia (Daniel 3). Quando José foi vendido como escravo aos egípcios por seus irmãos ele aceitou seguir aquilo que Deus lhe determinasse e então foi feito o homem mais importante de todo o Egito depois de faraó (Gênesis 41,40).

Nossa fidelidade a Deus nos faz pessoas melhores, nos ensina a viver nos padrões de obediência e verdade que Ele nos deu. A escola é mais do que um lugar pra passar o tempo, é mais do que um lugar para 'zuar', é onde poderemos levar o diferencial e curiosidade no porquê de sermos pessoas gratas, pessoas que não agem como todo mundo.

Que o seu ano na escola, faculdade ou curso seja cheio desse diferencial, que você nunca mude para agradar ao outros, mas para agradar a Deus e quando falhar e vier a cair lembre-se de levantar e continuar, pois apesar de pecadores e falhos que somos, temos um Deus que nos ama e oferecerá novas chances enquanto em nós houver fôlego e um coração sincero.



Boas aulas!
Mari

Comentários

  1. Adorei a foto dos livros ou melhor milhares de livros
    Gostei muito da frase com a foto dos sapatos
    Super eu
    Beijos Nath (Blog da Cantini)

    ResponderExcluir
  2. Sejamos sal fora do saleiro!
    Está mais do que na hora da juventude cristã impactar escolas, faculdades, não se isolando, mas deixando brilhar a luz em meio as trevas!
    http://musikeiroscia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É vdd Sara, q Deus nos ajude a ser luz! ;)
      Bjbj

      Excluir

Postar um comentário

Olá!!
Sinta-se livre para expressar sua opinião sobre o que leu aqui, queremos mesmo saber o que você pensa!
Muito obrigada pela visita e pelo comentário!
Deus te abençoe! ♥
DAC

Postagens mais visitadas deste blog

A menina da casa de Naamã

Olá meus queridos e minhas queridas!
A paz do Senhor!


A história de Naamã eu já conhecia, mas depois de ler mais uma vez notei algo que ainda não havia percebido.

A conversão de C. S. Lewis

Você, provavelmente, já ouviu falar no autor de "As Crônicas de Nárnia". Eu também, desde que conheci um pouco mais sobre ele, tive curiosidade em saber se ele era ateu ou cristão, pois (para bons entendedores) as Crônicas de Nárnia trazem uma mensagem com muitos valores cristãos, mas também contém muitas características duvidosas quanto ao que a história realmente quer transmitir. Então fiquei naquele impasse: Será  que é? Será que não é?

Hoje, decidi procurar um pouco mais sobre a vida dele e sanar minhas dúvidas. Agora quero compartilhar com vocês! Espero que gostem! =D

Muita emoção, nenhuma conversão

A paz do Senhor meus queridos!
Como estão?
_______________________________________

Ao abrir meu painel do blogger hoje me deparei com uma atualização de um dos blogs que sigo, onde a notícia falava sobre uma apresentadora de um programa de televisão que chorou ao ouvir uma música de uma cantora evangélica, que enquanto a cantora fazia sua apresentação a moça ficou muito emocionada e a cantora também, enfim, vocês devem saber quem é.
Então decidi postar sobre isso hoje, falar um pouco sobre o emocionalismo extremo de muitos que se dizem cristãos, mas que após seus momentos maravilhosos na presença de Deus, simplesmente voltam à suas vidas normais. O que realmente deveria acontecer depois de uma emocionante noite de culto ou oração? Por que tantas pessoas choram, pulam, gritam, dançam, sapateiam ... Mas depois disso não há sequer um sinal de mudança na vida delas? Será que chorar ao ouvir lindos louvores significa algo? E se eu não chorar? Quer dizer que não estou sentindo a presença de…