Pular para o conteúdo principal

Não trabalhe


Trabalhar é necessário para a vida do ser humano, pois é um mecanismo para o fim de sustentar as nossas necessidades econômicas. Porém trabalhar vai muito mais além do que imaginamos. Ter o desejo de ter uma profissão vai além de uma necessidade econômica, mas desperta um prazer dentro de nós que faz toda a diferença.
Em tudo nas nossas vidas devemos buscar a vontade de Deus, até mesmo em que profissão seguir. Saber a profissão certa a seguir, é saber se Deus vai se agradar no que vou fazer, é saber se vou conseguir honrar a Deus com minhas atitudes, saber se vai ser algo útil e não inútil. Orar a Deus antes de tudo é essencial.
Um passo a se fazer muito importante é procurar saber mais sobre a profissão que irá seguir, sua profissão estará presente na sua vida completamente, será uma parte de você. Querer só trabalhar será frustrante, você tem que trabalhar com algo que irá te dar prazer em fazer. A palavra trabalho sempre foi visto como algo negativo, o termo trabalho é originário do latim tripalium, que designa instrumento de tortura usado pelos antigos, significa aquilo que fatiga ou provoca dor.
Nos tempos antigos filósofos já expressavam suas opiniões sobre o trabalho, um grande e conhecido filósofo Karl Marx, já dizia que a força de trabalho é vendida como uma mercadoria, uma exploração econômica, onde o individuo não tem sua realização profissional.
Trabalhar a profissão que você gosta de verdade é diferente, pois você faz o que te dar prazer, você faz com amor, dedica o seu tempo realizando o que te realiza, e Deus se agradando disso é a melhor coisa.
Pense nessa frase: “escolhe um trabalho que gostes, e não terás que trabalhar nem um dia na tua vida.”


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A menina da casa de Naamã

Olá meus queridos e minhas queridas!
A paz do Senhor!


A história de Naamã eu já conhecia, mas depois de ler mais uma vez notei algo que ainda não havia percebido.

A conversão de C. S. Lewis

Você, provavelmente, já ouviu falar no autor de "As Crônicas de Nárnia". Eu também, desde que conheci um pouco mais sobre ele, tive curiosidade em saber se ele era ateu ou cristão, pois (para bons entendedores) as Crônicas de Nárnia trazem uma mensagem com muitos valores cristãos, mas também contém muitas características duvidosas quanto ao que a história realmente quer transmitir. Então fiquei naquele impasse: Será  que é? Será que não é?

Hoje, decidi procurar um pouco mais sobre a vida dele e sanar minhas dúvidas. Agora quero compartilhar com vocês! Espero que gostem! =D

Muita emoção, nenhuma conversão

A paz do Senhor meus queridos!
Como estão?
_______________________________________

Ao abrir meu painel do blogger hoje me deparei com uma atualização de um dos blogs que sigo, onde a notícia falava sobre uma apresentadora de um programa de televisão que chorou ao ouvir uma música de uma cantora evangélica, que enquanto a cantora fazia sua apresentação a moça ficou muito emocionada e a cantora também, enfim, vocês devem saber quem é.
Então decidi postar sobre isso hoje, falar um pouco sobre o emocionalismo extremo de muitos que se dizem cristãos, mas que após seus momentos maravilhosos na presença de Deus, simplesmente voltam à suas vidas normais. O que realmente deveria acontecer depois de uma emocionante noite de culto ou oração? Por que tantas pessoas choram, pulam, gritam, dançam, sapateiam ... Mas depois disso não há sequer um sinal de mudança na vida delas? Será que chorar ao ouvir lindos louvores significa algo? E se eu não chorar? Quer dizer que não estou sentindo a presença de…