Pular para o conteúdo principal

Disponível



Outro dia alguém me perguntou por que eu nunca estou no Facebook. Eu estou lá, só não estou disponível. Nada com não querer me misturar, nada com nada na verdade. Apenas não queria estar, não queria papo. E, falando sério, depois disso, eu passei a estar.



Não acho que aquela bolinha verde, ou um "online" sejam tão importantes, mas às vezes são. Já pensou se tivéssemos essas bolinhas em cima da cabeça? Todo mundo passando na rua, alguns "ocupados", outros "ausentes", outros "disponíveis"... Acho bem que todos estamos "invisíveis" até que alguém "disponível" nos faça estar também.

Não é sempre fácil se abrir, às vezes temos problemas pra iniciar uma conversa, principalmente se for pessoalmente! Mas sabe o que eu descubro quando me faço "disponível" pra alguém? Descubro mais um mundo. Semelhanças, diferenças, crenças. Descubro dificuldades e facilidades, histórias que nunca vivi.

Tem um conselho em Eclesiastes que diz:
É melhor ter companhia do que estar sozinho, porque maior é a recompensa do trabalho de duas pessoas. Se um cair, o amigo pode ajudá-lo a levantar-se. Mas pobre do homem que cai e não tem quem o ajude a levantar-se! Eclesiastes 4:9-10

Nos relacionamentos é assim: um ajuda o outro, um cresce com o outro e os dois caminham. Não é um carregar o outro nas costas (se bem que em momentos difíceis isso é necessário) ou um se aproveitar do outro. Relacionar-se é unir objetivos e interesses, é compartilhar, trocar experiências. Tudo isso exige coragem, persistência e paciência recíprocas mas é recompensador! Se transforma em amor.

Graças a Deus por nos criar com a necessidade de nos relacionar! Nós viemos de dentro de alguém, quer algo mais relacional do que isso? Já percebeu como o encaixe de duas mãos é perfeito ou como é bom receber um abraço (não sei você, mas eu não consigo abraçar sem fechar os olhos! É tão bom!). Lembre também de como é bom ter um amigo pra desabafar e rir e como as pessoas ficam mais bonitas quando sorriem!

Para nós, cristãos, relacionar-se deve ser natural, afinal, acredito eu, a pregação mais eficaz do evangelho é o testemunho. E como você vai testemunhar se ficar preso dentro de casa?
Muitos se vestem de "santos", não conversam, se fecham, será que se acham menos pecadores que os outros? Esse tipo de comportamento não os faz atraentes para os outros. Nem mesmo expressa o Cristo que eles pregam. Jesus nos ensinou a amar antes de condenar e a tratar dos problemas para resolvê-los, não a excluir quem não se encaixa na "Gospelândia" e seguir a vida.

Esteja disponível, mostre-se aberto aos relacionamentos! Ame as pessoas, considere-as mais importantes que você. Você pode ser o amigo que alguém está precisando. Arrisque! Expulse o amor que há dentro de você!

Dediquem-se uns aos outros com amor fraternal. Prefiram dar honra aos outros mais do que a vocês. 
Romanos 12:10


Com amor,
Mari

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A menina da casa de Naamã

Olá meus queridos e minhas queridas!
A paz do Senhor!


A história de Naamã eu já conhecia, mas depois de ler mais uma vez notei algo que ainda não havia percebido.

Só Deus sabe conjugar amor, afinal é o próprio verbo Amar!

Helloo Girls!
Que saudadinha de escrever. Eu pensei em vários assuntos pra postar, mas não iniciei nenhum e de repente, estava eu na casa da minhas primas. Nesse dia, estávamos assistindo vários filmes românticos (não estamos apaixonadas kkkkk),e um me chamou a atenção! Provavelmente você já assistiu, "Como se fosse a primeira vez". Chorei muito! E lembrei que eu já tinha feito uma aplicação da nossa vida com o filme "Porto seguro" (Meu primeiro textinho, confere lá...). Decidi fazer novamente. So, let's go!

O filme conta a história de Lucy (Drew Berrymore) e Henry (Adam Sandler). Henry é um veterinário marinho que tem uma fama de "garanhão", mas isso muda quando entra em uma lanchonete e encontra Lucy sentada brincando com a comida. A primeiro momento ele achou estranho, mas se aproximou dela e eles conversaram bastante. Decidiram se encontrar lá novamente. E assim aconteceu. Mas, quando Henry chegou pra conversar com ela, Lucy se afastou assustada.…

A conversão de C. S. Lewis

Você, provavelmente, já ouviu falar no autor de "As Crônicas de Nárnia". Eu também, desde que conheci um pouco mais sobre ele, tive curiosidade em saber se ele era ateu ou cristão, pois (para bons entendedores) as Crônicas de Nárnia trazem uma mensagem com muitos valores cristãos, mas também contém muitas características duvidosas quanto ao que a história realmente quer transmitir. Então fiquei naquele impasse: Será  que é? Será que não é?

Hoje, decidi procurar um pouco mais sobre a vida dele e sanar minhas dúvidas. Agora quero compartilhar com vocês! Espero que gostem! =D