Pular para o conteúdo principal

Duvidei do amor de Deus

"Eu passei muito tempo lendo a Bíblia, mas isso não significava muito para mim."
por Emily Kloosterman como disse a Amy Adair
 



Eu sentei no sofá e olhei em volta para todas as pessoas que tinham vindo para o estudo bíblico do grupo de jovens.  Ia quase toda semana para as reuniões da noite de domingo e não queria ir para outra atividade da igreja. Mas Kelly, minha líder do grupo de jovens, e alguém que eu realmente respeito, me disse que era importante ter tempo para estudar a Bíblia. 
Havia muita gente nova e Kelly quis nos conhecer melhor.  Ela pediu para cada um falar sobre como nos tornamos cristãos. Quando chegou minha vez, eu me mechi nervosamente em minha cadeira, limpei a garganta e comecei.
"Eu me tornei uma cristã quando eu tinha 9 anos." Fiz uma pausa, sentindo uma forma de caroço na minha garganta e meus olhos se encheram de lágrimas.  "Foi o ano em que minha mãe morreu de câncer de mama. ... Ela era uma cristã, mas isso não torna mais fácil."
Ninguém se mexeu ou fez um som. Então eu enxuguei as lágrimas e continuei falando.
 "Tanto o meu pai e meu avô foram completamente devastados. Mas eles confiaram em Deus, e eu queria o mesmo tipo de confiança."
Quando finalmente parei de falar, recebi um monte de abraços. E vi que Kelly estava chorando também. Ela sabia tudo sobre minha mãe.  Mas o que ela não sabia, e o que eu não queria compartilhar com os outros, foi que, embora a minha mãe tivesse morrido há vários anos, eu ainda não tinha paz sobre a morte dela. Muitas vezes me perguntei como um Deus amoroso poderia levá-la longe de mim.
Na semana seguinte, voltei a estudar a Bíblia. Kelly começou lendo Tiago 1:22 : "E sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes...".
Enquanto eu ouvia eu me sentia meio culpada.  Eu passei muito tempo lendo a Bíblia, mas isso não significava muito para mim.  Eu realmente não era uma pessoa má, mas eu sei que não fazia esse trabalho árduo na aplicação da Palavra de Deus.
"Vamos orientá-los sobre a Bíblia", destacou Kelly. Com esse desafio, Kelly pediu então a cada um de nós para fazer devoções diárias.  Ela disse que uma das melhores maneiras de fazer isso era ter um parceiro, alguém que ajudaria você com o seu devocional.
Eu não tinha certeza se queria assumir esse tipo de compromisso. Mas Kelly se ofereceu para ser minha parceira, então concordei.
Kelly me ligava uma vez por semana para ver se eu estava acompanhando o meu devocional.  Conforme as semanas passavam, começamos a ter algumas conversas profundas sobre Deus e a vida.
Uma noite, eu disse a Kelly que eu ainda lutava com a morte da minha mãe. Ela não falou muito, mas principalmente escutou. Ela também assegurou-me que Deus realmente me amava e queria o melhor para mim.  Em uma voz suave e delicada, ela citou Jeremias 29:11 : "Porque eu sei os planos que tenho para vocês ', diz o Senhor,' planos de fazê-los prosperar e não de lhes causar dano, planos de dar-lhe esperança e um futuro ".
Aquela conversa com Kelly realmente me ajudou. Não foram apenas as  palavras de Kelly que me ajudaram a sentir o amor de Deus. O jeito como ela estendeu a mão e se preocupou comigo me mostrou o quanto Deus me amava.
Ao longo do ano, fiquei perto de Kelly e durante todo o resto do estudo da Bíblia. E como todos nós tivemos de conhecer a Bíblia e Deus melhor, eu fui capaz de fazer as pazes com a perda de minha mãe.
Eu já não tinha dúvidas de que Deus me amava.


*Adaptado de: Crhistianity Today

Comentários

  1. Que lindo, Mari.
    Te confesso que eu estava precisando ler isso. Glória a Deus pelo seu blog, querida. Fique firme no Senhor, que você será sempre usada por Ele.

    Beeijos!

    ResponderExcluir
  2. ouwunm!!!
    Obrigada querida!
    Que Deus te abençoe e muito também e te molde para ser sempre esse instrumento do Seu imenso amor!
    Bjinhooss

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Olá!!
Sinta-se livre para expressar sua opinião sobre o que leu aqui, queremos mesmo saber o que você pensa!
Muito obrigada pela visita e pelo comentário!
Deus te abençoe! ♥
DAC

Postagens mais visitadas deste blog

A menina da casa de Naamã

Olá meus queridos e minhas queridas!
A paz do Senhor!


A história de Naamã eu já conhecia, mas depois de ler mais uma vez notei algo que ainda não havia percebido.

Cartas para o coração: Quando se sentir sozinha...

Estou há um mês e meio morando fora de casa. Tenho 20 anos e isso nunca aconteceu antes, era difícil conseguir permissão para dormir na casa "dazamigas", então morar em outro estado foi um divisor de águas na minha casa, minha família e minha vida! Sou do interior de São Paulo e precisei me mudar para a capital do Rio de Janeiro para estudar no Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil (atual Faculdade Batista do Rio de Janeiro). Até chegar onde estou muitas coisas aconteceram e, se Deus quiser, um dia contarei com mais detalhes para vocês! Ainda estou num tempo de adaptação e com certeza sou um bebê no quesito "experiência", é cedo pra falar do que estou começando a aprender! Hoje, porém, gostaria de falar o que eu gostaria de ouvir antes de vir pra cá e mesmo antes de qualquer situação em que eu me sentiria sozinha mesmo no meio de tantas pessoas, sem propósitos mesmo com tantas responsabilidades. 

A Cabana - A Perda da Arte do Discernimento Cristão

"O mundo editorial vê poucos livros atingirem o status de "sucesso". No entanto, o livro A Cabana, escrito por William Paul Yong, superou esse status. O livro, publicado originalmente pelo próprio autor e dois amigos, já vendeu mais de dez milhões de cópias e já foi traduzido para mais de trinta idiomas. É, agora, um dos livros mais vendidos de todos os tempos, e seus leitores estão entusiasmados.

De acordo com Young, o livro foi escrito originalmente para seus próprios filhos. Em essência, ele pode ser descrito como uma teodicéia em forma de narrativa – uma tentativa de responder à questão do mal e do caráter de Deus por meio de uma história. Nessa história, o personagem principal está entristecido por causa do rapto e do assassinato brutal de sua filha de sete anos, quando recebe aquilo que se torna uma intimação de Deus para encontrá-lo na mesma cabana em que a menina foi morta.
Na cabana, "Mack" se encontra com a Trindade divina, onde Deus, o…