Pular para o conteúdo principal

Me Converti... E Agora??? {16}

Meus queridos e minhas queridas, chegamos ao fim da série "Me Converti... E Agora???". É com muita alegria que o faço e deixo o aviso de que perguntas e sugestões sobre posts de formação serão sempre bem vindos e postados nessa categoria (então se de vez em quando vocês virem mais posts com o nome é por causa disso. ^^).


 Vocação e Serviço


Muitos ouvem a palavra "Vocação" e logo relacionam ao serviço de padres, pastores ou líderes de Igrejas, mas não se incluem nisso. Precisamos saber que todos temos um chamado, todos somos vocacionados a algo, a um serviço para Deus. É importante entender que a vocação não é uma profissão, algo que você exerce em troca de um bem, vocação é sim algo que você faz, mas que muitas vezes não ganha um valor em dinheiro ou em bens materiais, a única e mais perfeita coisas que você recebe por dizer sim e aceitar a sua voação é o céu [melhor que qualquer outra coisa, #néhmesmo !].
Somos primeiramente vocacionados a viver como filhos de Deus, a viver em santidade, depois que aceitamos esse primeiro desafio nos vem um outro: o de testemunhar, transmitir o amor de Deus que um dia experimentamos, isso pode ser através de palavras concretas (em uma conversa com alguém), de mensagens (Orkut, MSN, cartas, bilhetinhos, Twitter...), de suas roupas (roupas que demosntrem santidade e não sensualidade, com mensagens sobre Deus...), das músicas e tantos meios que não faltam.
Alguns não se sentem confortáveis com isso, têm medo, vergonha, receio, e usam como argumento que é "muita dor de cabeça", estão "muito novos" ou que ainda "não estão preparados"; mas Deus nos garante em sua Palavra que "muitos são chamados, mas poucos escolhidos." (Mateus 22:14), Ele chama a todos nós (muitos), Ele quer precisar de você, quis precisar de mim, para proclamar a Boa Nova, porém poucos aceitam o desafio de fazer a diferença, poucos perseveram. Certamente aqueles que desistem não quiseram se decidir verdadeiramente por Deus, talvez pensassem que religião é coisa boba, mas se fosse muitos não estariam hoje com suas vidas resgatadas por Deus, com suas famílias e relacionamentos restaurados, e, isso só pôde acontecer porque outros se deixaram ser canais de intermédio para que a graça acontecesse e se firmasse na vida daqueles que foram alcançados.
Você pode também dizer que não quer ir pra mais perto de Deus porque tem que concertar sua vida antes, mas Deus te ama e te quer assim, do jeito que você está, caminhando Ele te moldará e ajudará a endireitar o que foi desviado, Ele tudo fará se você der o acesso. Não tenha medo de aceitar a vocação a qual você é chamado.

Mas como eu vou descobrir o que fazer na igreja? Qual é realmente a minha vocação? O que Deus quer que eu faça?

Bem, primeiro pergunte a Ele (rsrs), ore e espere por uma resposta, deixe Ele te mostrar onde é que você se encaixa, e para não ficar sentado esperando a resposta cair do céu (o que certamente não irá acontecer), vá à luta! Para entender melhor o que quero dizer vamos à uma das parábolas que eu mais gosto!



"Vigiai, pois, porque não sabeis o dia nem a hora em que o Filho do homem há de vir.
Porque isto é também como um homem que, partindo para fora da terra, chamou os seus servos, e entregou-lhes os seus bens.
E a um deu cinco talentos, e a outro dois, e a outro um, a cada um segundo a sua capacidade, e ausentou-se logo para longe.
E, tendo ele partido, o que recebera cinco talentos negociou com eles, e granjeou outros cinco talentos.
Da mesma sorte, o que recebera dois, granjeou também outros dois.
Mas o que recebera um, foi e cavou na terra e escondeu o dinheiro do seu senhor.
E muito tempo depois veio o senhor daqueles servos, e fez contas com eles.
Então aproximou-se o que recebera cinco talentos, e trouxe-lhe outros cinco talentos, dizendo: Senhor, entregaste-me cinco talentos; eis aqui outros cinco talentos que granjeei com eles.
E o seu senhor lhe disse: Bem está, servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.
E, chegando também o que tinha recebido dois talentos, disse: Senhor, entregaste-me dois talentos; eis que com eles granjeei outros dois talentos.
Disse-lhe o seu senhor: Bem está, bom e fiel servo. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.
Mas, chegando também o que recebera um talento, disse: Senhor, eu conhecia-te, que és um homem duro, que ceifas onde não semeaste e ajuntas onde não espalhaste;
E, atemorizado, escondi na terra o teu talento; aqui tens o que é teu.
Respondendo, porém, o seu senhor, disse-lhe: Mau e negligente servo; sabias que ceifo onde não semeei e ajunto onde não espalhei?
Devias então ter dado o meu dinheiro aos banqueiros e, quando eu viesse, receberia o meu com os juros.
Tirai-lhe pois o talento, e dai-o ao que tem os dez talentos.
Porque a qualquer que tiver será dado, e terá em abundância; mas ao que não tiver até o que tem ser-lhe-á tirado.
Lançai, pois, o servo inútil nas trevas exteriores; ali haverá pranto e ranger de dentes.
(Mateus 25, 13 - 30)

Vejamos bem, o homem citado na parábola é Deus, que nos presenteou com talentos, cada qual de acordo com sua capacidade, deixou a nós a missão de multiplicar esses talentos para Ele e depois prestaremos conta do que fizemos. Deus nunca dará aquilo que não possamos fazer ou suportar mas tudo que Ele concede é bom e na medida certa. Esses talentos são aquilo que você sabe fazer de melhor, talvez você goste de cantar, tenha o desejo de proclamar a Palavra, de orar pelas pessoas, ou ainda, você goste de dançar ou fazer teatro, pode ser que você se dê bem com crianças e sinta o desejo de proclamar o amor de Deus a elas; são inúmeros os talentos que Deus pode ter concedido a você, só é preciso estar atento ao que mais sobressai para arriscar, aí você pode procurar o líder do grupo de jovens ou o padre, o pastor, alguém que você sabe que pode te encaminhar para um trabalho específico que se enquadre no que você quer fazer, se com o tempo você perceber que não é bem isso que Deus quer para você, se você ver que Ele deseja que você se doe em outro ministério ou grupo, não desanime, continue a orar e explique ao seu líder o que você está sentindo no coração e que precisa de um tempo pois está percebendo que talvez não seja isso exatamente o que Deus tem para você, passado esse tempo (uma semana pelo menos, pra dar tempo de organizar as idéias e orar bastante) se você viu que é isso mesmo converse novamente com o líder, explique o que aconteceu e se lance naquilo que você acredita ser o certo! Tente quantas vezes for necessário, o importante é que você se sinta bem onde você estiver e perceba que você está dando o melhor de si para Deus onde estiver servindo! Só não vale ficar parado! rsrs

Tenho certeza de que você consegue!


Bem gente... me desculpem pelo tamanhão do post [hoje eu estava inspirada! rsrs], mas obrigada de coração a você que leu e espero ter ajudado!

Até a próxima!
Kisses,
Mari
Ps.: Comentem!!! 
E agora estou escrevendo também nesse blog aqui ~> Viver para a Santidade! 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A menina da casa de Naamã

Olá meus queridos e minhas queridas!
A paz do Senhor!


A história de Naamã eu já conhecia, mas depois de ler mais uma vez notei algo que ainda não havia percebido.

A conversão de C. S. Lewis

Você, provavelmente, já ouviu falar no autor de "As Crônicas de Nárnia". Eu também, desde que conheci um pouco mais sobre ele, tive curiosidade em saber se ele era ateu ou cristão, pois (para bons entendedores) as Crônicas de Nárnia trazem uma mensagem com muitos valores cristãos, mas também contém muitas características duvidosas quanto ao que a história realmente quer transmitir. Então fiquei naquele impasse: Será  que é? Será que não é?

Hoje, decidi procurar um pouco mais sobre a vida dele e sanar minhas dúvidas. Agora quero compartilhar com vocês! Espero que gostem! =D

Muita emoção, nenhuma conversão

A paz do Senhor meus queridos!
Como estão?
_______________________________________

Ao abrir meu painel do blogger hoje me deparei com uma atualização de um dos blogs que sigo, onde a notícia falava sobre uma apresentadora de um programa de televisão que chorou ao ouvir uma música de uma cantora evangélica, que enquanto a cantora fazia sua apresentação a moça ficou muito emocionada e a cantora também, enfim, vocês devem saber quem é.
Então decidi postar sobre isso hoje, falar um pouco sobre o emocionalismo extremo de muitos que se dizem cristãos, mas que após seus momentos maravilhosos na presença de Deus, simplesmente voltam à suas vidas normais. O que realmente deveria acontecer depois de uma emocionante noite de culto ou oração? Por que tantas pessoas choram, pulam, gritam, dançam, sapateiam ... Mas depois disso não há sequer um sinal de mudança na vida delas? Será que chorar ao ouvir lindos louvores significa algo? E se eu não chorar? Quer dizer que não estou sentindo a presença de…