Pular para o conteúdo principal

Eu sou Ninguém.

Não, não me sinto uma rejeitada (e espero que você nem tenha imaginado isso...), é que... sinceramente... é o que eu quero ser e o que todos os dias eu peço a Deus. Que eu seja ninguém e Ele seja o centro das atenções. Que eu seja apenas o instrumento, e Ele seja o músico. Que eu seja apenas o pincel, e Ele seja o pintor. Que eu seja apenas o nada e Ele seja o Tudo.
Às vezes é tão complicado me desfazer de mim, às vezes é tão difícil deixar as minhas vontades, e é por isso que quando estou para começar meu primeiro afazer (no caminho da escola para ser mais exata) vou orando e pedindo que Ele cresça e eu diminua, que Ele seja o condutor de todas as situações, é algo que anseio muito e me esforço para fazer. Não quero que me vejam como a garota que é a melhor, que vai na Igreja e que faz tudo certinho, quero que me olhem e consigam identificar o brilho de quem é feliz por ser ninguém, mas uma ninguém unida com um Alguém que é a razão dessa felicidade.

Comentários

  1. Mari!
    A paz do senhor!
    adoreiii, também quero ser ninguem, para que Deus possa ser o tudo!
    Muito legal!
    Só não entendi a repetição da mesma imagem!

    Fica com Deus!
    Thau!
    =D

    ResponderExcluir
  2. Obrigada pelo comentário Felype, mas ñ entendi pq no meu PC só aparece uma imagem... =/
    ñ sei o que aconteceu...
    mesmo assim Deus te abençoe! =)

    ResponderExcluir
  3. Muito bom... todos nos deveríamos acordar pensando assim e, se pensar em ser alguém, que seja um imitador... de Cristo.

    ResponderExcluir
  4. Olá Rodolpho!
    É verdade, santidade é viver buscando sempre mais a semelhança com o Senhor!
    Muito obrigada pelo comentário!
    Deus abençoe sempre! ;)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Olá!!
Sinta-se livre para expressar sua opinião sobre o que leu aqui, queremos mesmo saber o que você pensa!
Muito obrigada pela visita e pelo comentário!
Deus te abençoe! ♥
DAC

Postagens mais visitadas deste blog

A menina da casa de Naamã

Olá meus queridos e minhas queridas!
A paz do Senhor!


A história de Naamã eu já conhecia, mas depois de ler mais uma vez notei algo que ainda não havia percebido.

Eu, eu mesmo e Pedro

Agora não compreendes o que eu faço, mas depois entenderás.
Em uma conversa casual, refletindo sobre este versículo, algo nos chamou a atenção.  Já ouvimos em muitas aplicações como temos atitudes semelhantes às dos personagens bíblicos, Adão é aquele citado para falar de quem não assume a responsabilidade dos seus atos e sempre joga a culpa em outra pessoa, ou Jonas quando foge do chamado de Deus, ou Moisés que sempre coloca um empecilho para aceitar a missão que Deus lhe confiou... A reflexão de hoje nos aproxima mais uma vez de um personagem bíblico e nos traz algumas lições. Vamos juntos?

Muita emoção, nenhuma conversão

A paz do Senhor meus queridos!
Como estão?
_______________________________________

Ao abrir meu painel do blogger hoje me deparei com uma atualização de um dos blogs que sigo, onde a notícia falava sobre uma apresentadora de um programa de televisão que chorou ao ouvir uma música de uma cantora evangélica, que enquanto a cantora fazia sua apresentação a moça ficou muito emocionada e a cantora também, enfim, vocês devem saber quem é.
Então decidi postar sobre isso hoje, falar um pouco sobre o emocionalismo extremo de muitos que se dizem cristãos, mas que após seus momentos maravilhosos na presença de Deus, simplesmente voltam à suas vidas normais. O que realmente deveria acontecer depois de uma emocionante noite de culto ou oração? Por que tantas pessoas choram, pulam, gritam, dançam, sapateiam ... Mas depois disso não há sequer um sinal de mudança na vida delas? Será que chorar ao ouvir lindos louvores significa algo? E se eu não chorar? Quer dizer que não estou sentindo a presença de…